fbpx

 

Retiro Budista em Belo Horizonte

Nos dias 20, 21 e 22 de junho de 2019, o Centro Budista Kadampa Maitreya promoveu em sua sede um Retiro Urbano! Foi um evento de 3 dias em que mais de 15 praticantes se engajaram e puderam, assim, desenvolver e aprofundar seu conhecimento e sua prática nas meditações das Etapas do Caminho, o tema do retiro.

Mas o que é um retiro?

“Em um retiro, interrompemos todas as formas de trabalho profissional e quaisquer outras atividades exteriores ou alheias ao retiro, para que tenhamos a oportunidade de enfatizar uma prática espiritual específica” (Livro Joia-Coração, p. 59)

Assim nos ensina nosso Guia Espiritual, fundador da Nova Tradição Kadampa, Venerável Geshe Kelsang Gyatso Rinpoche. Seguindo esta ideia e aproveitando a chance que o feriadão do mês de junho ofereceu, a Professora Residente Vanda Pereira bondosamente se dedicou a preparar e conduzir sessões de meditação e ensinamentos muito profundas e transformadoras!

“O Budismo é a prática dos ensinamentos de Buda, também chamado de Dharma, que significa proteção. Praticando estes ensinamentos, os seres vivos ficam permanentemente protegidos do sofrimento.” (Professora Residente Vanda Pereira)

Os participantes tiveram a preciosa oportunidade de mergulhar em ensinamentos milenares da doutrina budista – em especial, as primeiras meditações das Etapas do Caminho, ou Lamrim, em tibetano.

“Essas instruções constituem o corpo principal do Dharma de Buda ou Budadharma. Elas nasceram da sabedoria onisciente de Atisha (982 – 1054), e sua tradição continua sendo praticada até hoje. É maravilhoso e um sinal de grande ventura que esses ensinamentos preciosos estejam começando a florescer nos países ocidentais.” (Livro Caminho Alegre da Boa Fortuna, p. ix).

Meditação e budismo moderno

O Brasil, como sabemos, não tem uma tradição predominantemente budista. Entretanto, por possuir uma grande variedade de crenças e prática de diversas correntes religiosas, acaba por ser um país de pessoas com muita fé e um grande potencial espiritual, elementos essenciais na transformação interna e na busca por um sentido maior para nossa existência, de modo que contemple e acolha os outros e suas diferenças. Com o Budismo não é diferente.

A Nova Tradição Kadampa trouxe ao Ocidente uma forma moderna de praticar o Budismo, aberta a todos. Sua principal intenção é tornar acessíveis as práticas de meditação e os ensinamentos universais de Buda através de seus Centros de Meditação e Templos pela Paz Mundial, ou seja, é uma tradição que tem por objetivo proporcionar a qualquer pessoa o desenvolvimento de seu pleno potencial espiritual e conquistarem, finalmente, a intenção última de Buda, a plena iluminação.

“Por meio do treino da meditação e outras práticas budistas podemos aperfeiçoar a qualidade da nossa vida, desenvolvendo paz interior, compaixão e sabedoria.”

O Centro Budista Kadampa Maitreya atua em Belo Horizonte desde 2000, oferecendo desde então inúmeras atividades e servindo de referência para aqueles que desejam aprender a meditar e conhecer ou se aprofundar no Budismo.

Como em qualquer outra área da vida, quanto maior o esforço que empenhamos na conquista de algum objetivo, mais eficiente será o resultado.

Com o treino da meditação não é diferente.

Primeiramente, é preciso aprender os princípios básicos e desenvolver, aos poucos e com paciência, a capacidade de concentração. Em seguida, se quisermos obter resultados positivos e duradouros em nossa mente, precisamos meditar com alguma regularidade. Se já tivermos chegado neste ponto de nossa prática, sabemos que, eventualmente, é importante aprofundarmos algum aspecto de nossos conhecimentos, e é aí que entram os retiros! Um de nossos professores, o monge Kelsang Genden, diz o seguinte:

“Quem faz retiros tem o desejo de ser feliz através da meditação. Se você deseja ser feliz de verdade, é preciso ter paz interior. A única maneira de treinar em paz interior é meditando, e em um retiro meditamos muito. Assim, somos felizes. Como diz Venerável Geshe-la: ‘sem paz interior, paz exterior é impossível’.” (Kelsang Genden – 38)

As Etapas do Caminho à Iluminação

Neste primeiro retiro, a ênfase foi nas 5 primeiras meditações das Etapas do Caminho: A nossa preciosa vida humana, meditação sobre a morte, os sofrimentos dos reinos inferiores, buscar refúgio e carma (a lei das ações e seus efeitos). Todas estas meditações compõem as etapas do caminho de uma pessoa do escopo inicial, ou seja, de alguém que busca, através de sua prática, a felicidade de humanos e deuses.

São temas incomuns no cotidiano do mundo ocidental. Alguns como a morte e os reinos inferiores são tratados como tabus, muitas vezes, e por isso devem ser estudados com muita cautela e, preferencialmente, com o acompanhamento e os conselhos de um professor experiente. Desse modo, é possível avançar com segurança e com alegria neste agradável caminho interior. E de fato, a professora Vanda teve sucesso completo na condução deste retiro. Contemplando as capacidades de todos os participantes, desde os iniciantes até os mais experientes, ela inspirou a todos em cada uma das sessões. Em uma delas, por exemplo, incentivou os alunos de maneira muito clara e habilidosa a refletirem e contemplarem os benefícios de buscar refúgio nas três joias do Budismo:

“Joia Buda é como um médico supremo, um médico espiritual; joia Dharma é como o remédio supremo para todos os nossos sofrimentos; e a joia Sangha, que são os praticantes sinceros, são como os enfermeiros, que nos ajudam em nossa cura”.

Uma das características da professora Vanda mais apreciadas pelos alunos é a sua maneira de conseguir transmitir os ensinamentos de um modo prático e simplificado. Desse modo, não só o entendimento do Budismo como também o modo como colocá-lo em prática se tornam tarefas fáceis de realizar:

“No capítulo sobre o que significa a nossa morte, por exemplo, talvez a gente não sinta um gosto agradável ao ouvir sobre ela, mas precisamos dessas meditações, e no final da contemplação nós ficamos felizes; já no capítulo sobre a preciosa vida humana, há uma mensagem contida ali: pare de se matar de trabalhar e arrume um tempo para se iluminar. Esse é o seu verdadeiro potencial.”

A experiência de um retiro urbano

A atmosfera que surgiu já desde o primeiro dia de retiro foi notadamente de muita harmonia e positividade! A interação entre novatos e experientes é mais uma das características típicas deste tipo de evento, e permite um rico aprendizado para ambas as partes. São trocas saudáveis e prazerosas que acabam por marcar a todos.

“Experiência única, na qual os ensinamentos de Buda, o Dharma, foram transmitidos e compartilhados com nossos amigos espirituais – a Sangha.” (Maria de Fátima – 52)

“A primeira coisa que pensamos quando ouvimos falar em um retiro espiritual é que ficaremos reclusos somente fazendo nossas preces. Mas nem sempre as coisas acontecem como pensamos; elas podem nos surpreender, nos trazer muitos benefícios e nos ensinar que podemos ser pessoas melhores a cada dia.” (Matheus – 17).

O retiro visou, ainda, a proporcionar uma experiência completa de uma prática Kadampa aprofundada, incluindo diversas atividades como a troca de oferendas no altar e preces ao final de cada dia, incentivando os praticantes a aprenderem e participarem também da preparação de tudo:

“Eu procurei trazer para o CBK Maitreya, da forma mais aproximada possível, a experiência marcante que é um retiro nos moldes da nossa tradição. Participei de vários retiros ao longo de minha trajetória como praticante, e guardo, com especial carinho em minha memória, um que fiz em janeiro de 2019 no Templo pela Paz Mundial, em Cabreúva/SP, conduzido por Gen Kelsang Togden. Foram 10 dias de intensa prática, de trocas riquíssimas de experiências e de nascimento de novas amizades com praticantes de todo o país!” (Carlos D’Elia, Coordenador do Programa de Educação).

O 1º Retiro Urbano 2019 teve como um de seus pontos altos o poder da mente de apreciar os outros, que se manifestou de maneira clara e bonita através do esforço sincero de todos os voluntários em beneficiar a todos de diversas formas, como na arrumação e limpeza da sala de meditação e de todo o espaço do Centro, na preparação dos lanches servidos nos intervalos entre sessões, na recepção dos participantes e em muitas outras importantes tarefas. Seu empenho contagiou a todos, fazendo brotar o autêntico significado do que é a Joia Sangha, a comunidade espiritual.

Como se pode perceber pelas falas e pelas fotos, a alegria permeava os corações de cada um, e isto não foi por acaso. Buda deu todos os seus 84 mil ensinamentos aos seres deste mundo com o objetivo dar as ferramentas para que cada um aplaque por completo todo o sofrimento e alcance, através do treino em sabedoria e compaixão, a perfeita e completa iluminação para o benefício de todos. A experiência vivida nesse Retiro Urbano foi o nascer de mais um dos incontáveis frutos desta poderosa árvore medicinal milenar que é o Budismo. Graças à infinita bondade e compaixão de Venerável Geshe Kelsang Gyatso Rinponche é que nós, seres modernos e ocidentais, podemos facilmente nos beneficiar e nos nutrir com as sagradas instruções de Buda. Que suas bênçãos continuem a fazer amadurecer realizações espirituais nos corações de todos os seres sencientes de todo o mundo.

Assista aos vídeos do primeiro e do segundo dia de retiro!

× Fale conosco